Ricardo Domeneck avalia Flip em sua primeira participação

O artista bebedourense dá uma verdadeira aula sobre educação literária ao apontar falhas no sistema brasileiro.

(Divulgação/Flip)

O artista bebedourense Ricardo Domeneck fala a Gazeta, após sua primeira participação na 16ª edição da Flip (Festa Literária Internacional de Paraty). O escritor participou da mesa ‘Poeta na torre de capim’, ao lado da pesquisadora de Luiz Gama, Lígia Ferreira e conta que “estava lá como poeta e editor de uma poeta bastante desconhecida (Hilda Machado). Foi possível nesta Flip haver uma mesa em que Ligia Ferreira pode discutir o trabalho de um poeta negro, pouco conhecido, fora do cânone, e eu discutir o trabalho de uma poeta que morreu inédita, Hilda Machado”.

(…)

Leia mais na edição nº 10293, de 2 e 3 de agosto de 2018.